Mão biônica chega pra valer ao Brasil

Posted on 30 de outubro de 2009. Filed under: Amputados | Tags:, |

O auxiliar de escritório Simão Manoel da Silva parecia uma criança enquanto aprendia a usar a mão biônica i-Limb, apresentada na Ortopédica Catarinense, na última quinta-feira (29). Lançado durante o Congresso Latino-Americano de Ortopedia Técnica, neste mês, o equipamento acaba de ser liberado pela Anvisa para comercialização no Brasil e promete dar um salto na qualidade de vida dos pacientes amputados que puderem adquiri-lo. “É uma prótese mais leve, mais ágil, dá mais conforto e segurança. Posso fazer várias coisas, pois ela tem mais opções de movimento”, comenta Simão.
O auxiliar de escritório perdeu a mão direita em um acidente de trabalho há cerca de 20 anos. Ele utiliza uma prótese convencional chamada de mioelétrica, cuja ação se restringe a um movimento de pinça,os outros dedos são rígidos e só acompanham o movimento , sem articulação. A nova tecnologia que ele experimentou muda totalmente essa forma de trabalho. Os dedos se movimentam de maneira independente e são articulados individualmente, o que garante mais confiabilidade ao agarre.
A mão é controlada por meio de dois sensores, instalados dentro do encaixe da prótese, sensíveis às contrações musculares. Dependendo da tensão realizada, é feita a abertura, o fechamento e a rotação. Como os motores dos dedos são individuais, eles conseguem se adaptar e segurar com firmeza qualquer tipo de objeto. Eles podem suportar um peso de até 8 kg cada um, cerca de 25 kg no total.
Para tornar o projeto da mão biônica realidade foram necessários vários anos de trabalho. “No mínimo cinco ou seis”, diz Carlos Fernando Hoegemann, representante da Touch Bionic’s, empresa que produz a i-Limb. “Projetos de alta tecnologia demoram muito tempo até sair os primeiros protótipos”, conta. Na produção da prótese é utilizado um plástico de alta resistência e cinco servomotores (um para cada dedo) de alta velocidade força.
Segundo Luciano Alves, protesista da Ortopédica Catarinense, clínica que traz a mão biônica para o Paraná, são necessários de três a quatro meses de trabalho para que o paciente consiga dominar completamente a prótese. Além da fisioterapia, também é feita uma simulação no computador antes de partir para a prova prática. Amputados acima ou abaixo do cotovelo têm condições de utilizar a i-Limb. “Essa possibilidade de trabalhar com os dedos individualmente já é uma das maiores evoluções nas últimas décadas para próteses de mão”, afirma o especialista.

Make a Comment

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...

%d blogueiros gostam disto: