17 de novembro – Dia Nacional de Combate à Tuberculose

Posted on 16 de novembro de 2009. Filed under: Eventos | Tags: |

O Dia Nacional de Combate à Tuberculose, 17 de novembro, traz uma comemoração a mais para a Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia, segundo seu Presidente, o dr. José Eduardo Delfini Cançado.
A partir de dezembro, o esquema terapêutico contra tuberculose nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro passa por importantes mudanças. O novo tratamento, denominado dose fixa combinada (DFC), ou quatro em um, inclui uma medicação a mais além das três já utilizadas.
“Com essa mudança, aumenta a efetividade do tratamento e a adesão à terapia, que não pode ser interrompida antes de seu término. A não rara descontinuidade do tratamento têm permitido ao bacilo Koch, causador da tuberculose, desenvolver resistência aos medicamentos”, explica dr. Sidney Bombarda, diretor da SPPT.
Esta resistência tem aumentado significativamente. Prova disso foi o comparativo feito nos anos de 1992 e 2008, sobre a resistência às drogas para o tratamento da tuberculose no Brasil. O estudo revelou a resistência primária, ou seja, pacientes que nunca haviam utilizado o medicamento apresentavam resistência à isoniazida, um dos componentes do tratamento. Esta resistência é fruto da contaminação por bacilos já resistentes e cujo tratamento, nesses casos, requer outros medicamentos não tão eficazes quanto à isoniazida.
Panorama da tuberculose
No Brasil, cerca de cinco mil pessoas morrem por ano vítimas da tuberculose. A doença é transmissível especialmente nos grandes centros urbanos e atinge principalmente as camadas menos favorecidas da população.
A maneira mais eficaz de controlar a tuberculose é com um diagnóstico rápido e a aplicação do tratamento por, pelo menos, seis meses. A doença é transmitida por meio da fala e da tosse. Um dos principais indícios da doença é a tosse por um período de 3 semanas ou mais.
Tuberculose em números
O número de novos casos reduziu significativamente de 1999 a 2008, passando de 51,44 por cada grupo de 100 mil habitantes, para 37,12. É uma queda de 27,5%. A taxa de mortalidade também caiu: de 3,62 para 2,38 por 100 mil habitantes, correspondendo a uma diminuição de 34,25%, entre 1999 e 2008. Ainda assim, no Brasil, a doença é a quarta causa de morte por doenças infecciosas e a primeira em pacientes com Aids. Em média, uma pessoa contaminada é responsável pela infecção de outras dez.
“Ações governamentais bem acentuadas, com destaque para o tratamento supervisionado, em que o paciente vai diariamente às unidades de saúde tomar medicação, foram fundamentais para este novo quadro da tuberculose no Brasil, com a redução de casos e de óbitos”, ressalta dr. Sidney.

Make a Comment

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...

%d blogueiros gostam disto: