Dor durante a relação sexual não é normal e tem tratamento

Posted on 12 de abril de 2010. Filed under: Mulher | Tags: |

Uma das queixas muito comuns nos consultórios ginecológicos é a dor durante a relação sexual, pesquisadores estimam que cerca de 60% das mulheres já tiveram episódios de dor ou desconforto na região genital durante ou após o ato sexual.
Esta dor ou desconforto é conhecido no meio médico como dispareunia, e pode ocorrer por vários motivos, desde aspectos orgânicos a questões emocionais e afetivas.
A dispareunia pode ser superficial, quando a dor é percebida na vulva ou no terço inferior da vagina ou profunda, quando o sintoma doloroso é referido na região do baixo ventre. A sensação dolorosa pode ocorrer durante ou mesmo após a relação sexual e pode variar de intensidade.
Segundo a médica ginecologista geriátrica e sexóloga Ângela Carvalho são inúmeros os fatores que podem causar a dispareunia, entre os mais comuns estão os fatores orgânicos, como diminuição da lubrificação por excitação insatisfatória ou por baixos níveis de estrogênio (como é o caso das mulheres na pós menopausa), infecções do canal vaginal (vulvovaginites), DST, especialmente as lesões do herpes vaginal, ou simplesmente processos irritativos causados pelos produtos químicos utilizados para a higiene pessoal e alguns lubrificantes.
Ângela chama a atenção ainda para alguns fatores psicológicos que podem prejudicar a lubrificação feminina e causar a dor durante o ato sexual. “A depressão e a insatisfação com o corpo, podem levar a mulher a ter vergonha ou medo da intimidade, o que poderá provocar uma lubrificação inadequada, causando assim a dispareunia”. Nestes casos além do tratamento ginecológico é fundamental que esta mulher também tenha um acompanhamento psicoterapêutico com foco na sua sexualidade”, afirma.
Ângela explica que com a chegada da menopausa a mulher passa a ter redução dos níveis de estrógeno no organismo, o que diminui a lubrificação vaginal, levando ao desconforto durante a penetração e sensação de ardor vulvovaginal após o coito. O que poderá ser perfeitamente minimizado com uso de cremes vaginais a base de estrogênio.
Devemos lembrar que o uso de alguns medicamentos diminui a libido, e conseqüentemente levam a queixa de ressecamento vaginal.
Para finalizar, durante a consulta ginecológica, a queixa de dor na relação deve ser cuidadosamente investigada através de anamnese detalhada e de exame físico minucioso e a conduta terapêutica deverá ser instituída com base na visão psicossomática do problema.
Dra. Ângela Carvalho (CRM 11060-PR)
Médica, ginecologista geriátrica e sexóloga
Blog: http://www.draangelacarvalho.blogspot.com
Twitter: http://www.twitter.com/dra_angela
Email: angelacarvalho@angelacarvalho.com.br
Fone: 41 3026-4994
Endereço: Rua Barão de Guaraúna, 648, Juvevê, Curitiba, PR.

Make a Comment

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...

%d blogueiros gostam disto: